Compartilhe

Em 29 de outubro de 1969, dois enormes computadores localizados na Universidade de Los Angeles (UCLA) e o Instituto de Investigação de Stanford (SRI) conseguiram estabelecer a primeira troca de informações entre seus nós. Nascia assim a rede ARPANET, o embrião de uma internet que mudou para sempre a forma de comunicação e a própria história da Humanidade.

 

 

Os primeiros passos da ARPANET (e da Internet)

 

 

Os primeiros conceitos dessa rede de comunicações foram publicados em 1959 por Paul Baran, que trabalhava em uma rede segura de comunicações com fins militares, que fosse capaz de sobreviver a um ataque com armas nucleares.

A ARPA (Agência de Investigação de Projetos Avançados) iniciou o design inicial da ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), uma rede de computadores criada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos para comunicar os diferentes órgãos do país, nascendo assim o embrião da Internet.

 

 

Às 22 horas de 29 de outubro de 1969, foi realizado o primeiro teste de conexão da ARPANET entre os nós da UCLA e da SRI, que estavam a 500 quilômetros de distância.

 

 

 

O teste aconteceu via Interface Message Processor (IMP), transmitindo a palavra Login. Porém, apenas as duas primeiras letras chegaram ao destino. O sistema falhou, mas o teste, não. E “Lo” é a primeira mensagem transmitida pela rede ARPANET.

Os códigos foram revisados, e uma hora depois a mensagem foi enviada por completo e com sucesso. Em 5 de dezembro de 1969, os quatro computadores associados ao projeto conseguiram se conectar a uma mesma rede.

 

 

A partir daí, os avanços aconteceram em um bom ritmo, e em 1972 aconteceu a primeira demonstração pública da ARPANET. Depois disso, a rede se expandiu dos Estados Unidos para a Europa, conectando a University College of London com os centros acadêmicos californianos.

 

 

Início e desenvolvimento da Internet moderna

 

 

Em 1973, a DARPA iniciou um programa de pesquisa para interconectar redes e desenvolver protocolos de comunicação. Dessa iniciativa nasceu o nome Internet, que se aplicou ao sistema de redes interconectadas via protocolos TCP/IP.

Em 1974, foi publicada uma proposta para conectar todas as redes da família ARPANET em uma única chamada inter-network, sem um controle centralizado e trabalhando com um único protocolo de controle de transmissão (que posteriormente se transformou no TCP/IP).

 

 

Em 1977, o conceito do modem para PC foi desenvolvido, e graças a ele, a Internet se popularizou através do acesso via rede telefônica. Outro passo importante foi a invenção do sistema de direções via sufixos, como .com e .org.

Mas a mudança definitiva para a Internet moderna aconteceu em 1 de janeiro de 1983, quando a ARPANET migrou completamente do protocolo original NCP para o TCP/IP, hoje utilizado para transmitir dados entre computadores e aos servidores web.

Por fim, em 12 de março de 1989, Tim Berners-Lee escreveu a proposta de um sistema de distribuição de documentos de hipertexto, ou HTTP, em um protocolo interconectado e acessível via internet. No começo, era apenas um mecanismo para evitar o deslocamento de um edifício a outro na Universidade de Oxford), mas se transformou em um projeto global, que hoje é conhecida como World Wide Web.

Depois, apareceu a primeira conexão entre um cliente e um servidor via protocolo HTTP, o primeiro navegador da história, o primeiro diretório web e o primeiro servidor Web global, montado em um NeXTcube.

Todas essas tecnologias foram fundamentais, mas só foram possíveis com o lançamento da ARPANET, que hoje completa 50 anos. Com ela, contamos hoje com uma Internet que conecta bilhões de pessoas e dispositivos, mudando de forma definitiva as nossas vidas.


Compartilhe