O mundo está caindo sobre a cabeça da Huawei, depois do veto imposto pelo presidente Donald Trump, que proíbe as empresas norte-americanas a se envolverem comercialmente com a gigante chinesa (que é acusada de espionagem, mas até agora não apareceu nenhuma prova contra ela).

Apesar do veto estar suspenso até o dia 19 de agosto (tempo suficiente para que se construa uma mesa para as partes negociarem um acordo), várias empresas ou já manifestaram que vão encerrar as suas parcerias com a Huawei ou pelo menos esboçam que sofrem uma pressão para realizar tal movimento.

Mas parece que a Huawei não está completamente sozinha nessa batalha, e tem alguém querendo estender a mão em direção aos chineses para ajudá-los. E não é qualquer uma que quer fazer isso; é a Aptoide.

 

 

Aptoide pode se transformar na loja oficial de apps da Huawei

 

De acordo com o CEO da Aptoide, Paulo Trezentos, a sua empresa está nesse momento em negociações com a Huawei, e a ideia é transformar a sua loja na loja padrão dos dispositivos da marca em um futuro próximo.

Nada está fechado (ainda). Só sabemos que a Huawei está trabalhando na sua própria loja de aplicativos, a App Gallery. Porém, ela pode demorar um pouco mais do que o esperado para ficar pronta, e é justo que o Aptoide figure como opção principal durante esse lapso temporal.

Mas existem algumas letras miúdas nesse bilhete. O Aptoide tem muitos apps gratuitos, e sua oferta de aplicativos é bem ampla. Tão ampla, que inclui vários aplicativos maliciosos, pois não possui o mesmo processo de segurança do Google e sua Play Store (e mesmo nessa loja do Google ainda encontramos vários apps maliciosos).

Por enquanto, uma das prioridades da Huawei é conservar a confiança dos seus clientes. Ou seja, antes de fechar um acordo, a Aptoide teria que deixar as suas políticas de recebimento de novos apps mais rígida. Vamos ver como o assunto se desenvolve nas próximas semanas.

 

Via Tecmundo