Compartilhe

Parece que depois de levar tanta porrada (e porrada de todos os lados), a Apple aprendeu a lição. E uma lição que não apenas a gigante de Cupertino precisa aprender. Todas as empresas de tecnologia que entregam produtos para o consumidor final precisam entender e, principalmente, respeitar o direito do consumidor em ter o máximo de informação possível sobre o produto de sua marca que ele está usando.

Dito isso, você bem se lembra que, em um passado não muito distante, a Apple foi duramente criticada por reduzir de forma deliberada o desempenho dos seus iPhones mais antigos para evitar um desligamento repentino com a degradação das baterias dos dispositivos.

É preciso deixar bem claro que o problema não está exatamente na redução do desempenho para manter o dispositivo funcionando. Essa parte do processo é até compreensível. O grande problema é não informar aos usuários do iPhone que estavam fazendo isso, induzindo o cliente ao erro em comprar um smartphone novo para voltar a ter aquela experiência de uso de alta qualidade.

Depois das críticas, alguns processos e todo um processo de troca de baterias instaladas em modelos antigos que geraram alguns prejuízos, a Apple vem adicionando formas onde os usuários podem verificar o status de sua bateria, além de liberar uma opção nas configurações que entrega a liberdade de decisão para ativar ou desativar a redução de desempenho, se assim o usuário desejar.

 

 

Agora, você fica sabendo quando um update vai deixar o seu iPhone lento

 

Agora, a iniciativa mais recente que a Apple adotou foi o sistema de notificação dos usuários quando uma atualização pode deixar o iPhone potencialmente mais lento e, dessa forma, é o proprietário do dispositivo quem decide se aquela atualização vale a pena ou não para ele.

A Apple fechou um acordo com a Autoridade da Concorrência e de Mercado do Reino Unido, que investigou a empresa norte-americana sobre a redução das velocidades dos processadores dos seus dispositivos. E com certeza concluíram que o problema não era de hardware, e sim de software.

Ou seja, os usuários agora vão saber o tempo todo como o software afeta o desempenho do seu iPhone, e decidir se vale a pena atualizar o seu iPhone ou não. Se bem que eu sempre recomendo manter o telefone atualizado em tempos de hackers, bloatwares e outras ameaças virtuais.

 

Via CNBC


Compartilhe