Compartilhe

Embora as receitas do iPhone tenham caído no último trimestre, a empresa anunciou em seu mais recente relatório de resultados financeiros que sua base de iPhones ativos atualmente está em mais de 900 milhões de dispositivos.

Essa é a primeira vez que a Apple libera essa informação, e representa um registro histórico para este produto. Além disso, se adicionarmos os dispositivos Apple Watch, iPad, iPod e Mac, o número de dispositivos Apple ativos nesse momento vai para incríveis 1.4 bilhão de unidades.

A Apple não revelou detalhes sobre o número de dispositivos ativos para os outros produtos, mas confirmou que o número total aumentou em mais de 100 milhões nos últimos 12 meses. Além disso, o número aumentou 40% em relação a 2016, quando a Apple atingiu a marca de 1 bilhão de dispositivos ativos.

Devido à crescente importância da receita nos serviços da Apple, a empresa com sede em Cupertino prometeu atualizar periodicamente o número de sua base de dispositivos ativos. Isso deve ajudar analistas e investidores a entender melhor o desempenho dos negócios de hardware da Apple, especialmente agora que a empresa parou de publicar as vendas do iPhone.

A Apple também defendeu a sua estrutura de preços em todo o mundo, e não considera que os seus preços são elevados.

“O preço do iPhone XS nos EUA é o mesmo que o iPhone X há um ano “, disse o CEO da Apple, Tim Cook, em resposta a uma pergunta sobre o iPhone ser muito caro. “O iPhone XS Max, que era novo, era US$ 100 mais caro que o XS.”

“Então colocamos o preço do iPhone XR bem no meio do preço de entrada do iPhone 8 e do iPhone 8 Plus”, disse Cook. “Na verdade, foi uma pequena diferença de preço nos Estados Unidos em comparação ao ano passado.”

Durante o evento, Cook também anunciou que a Apple Music ultrapassou os 50 milhões de assinantes no final do ano passado e o setor de serviços – incluindo o Apple Pay, o Apple Music, o Apple News e 30.000 aplicações baseados em assinaturas na App Store – aumentou em 40% em relação ao ano anterior.

Em termos de perspectivas futuras, a Apple espera que as vendas do iPhone diminuam novamente no atual primeiro trimestre de 2019.


Compartilhe