A situação para a Apple só está piorando. Agora, temos a notícia que a gigante de Cupertino reduziu a produção dos iPhones em mais de 10%, reforçando as recentes declarações de Tim Cook e assombrando cada vez mais as contas da empresa.

Que a Apple está com dificuldades nas vendas dos novos iPhones, este é um fato. Tim Cook colocou a culpa na fraca presença na China e a troca de baterias dos iPhones antigos a preços reduzidos.

Os planos iniciais da Apple previram a produção de 48 milhões de iPhones entre janeiro e março de 2019, mas após os cortes recém anunciados, a estimativa de produção caiu para 40 milhões de unidades. A redução afeta todos os modelos de iPhones lançados em 2018 (iPhone XS, XS Max e XR).

Por outro lado, o iPhone XR está vendendo melhor que o esperado, o que pode também indicar um reposicionamento estratégico para melhorar as margens de lucro. Mesmo assim, o corte na produção não deixa de ser algo estranho.

Os planos de vendas da Apple mudaram significativamente, deixando de lado a necessidade de vender unidades no mesmo nível dos anos anteriores, já que os valor dos iPhones e a margem de lucro também mudaram com o passar dos anos.

Uma coisa é certa: a Apple precisa fazer algo para revitalizar as suas vendas em 2019. Ou trazer para o mercado um iPhone totalmente revolucionário (algo que, sinceramente, acho pouco provável que vai acontecer – especialmente com os recentes vazamentos) ou reduzir o preço dos seus dispositivos (algo pouco crível, pois não é o histórico da Apple).

Em resumo, não dá para saber o que Tim Cook vai decidir para a Apple em 2019. Mas está bem claro que algo precisa ser feito. O iPhone é a principal fonte de lucros da empresa, e se ele falhar nas vendas, a gigante de Cupertino corre o sério risco de entrar em crise.

Se é que a crise já não está presente e consolidada.

 

Via The Verge