Compartilhe

O Apple Watch levantou muitas dúvidas na época do seu lançamento, mas o seu sucesso no presente é indiscutível. Foram 31 milhões de unidades vendidas do relógio em todo o mundo no ano passado, 10 milhões a mais do que o conjunto de toda a indústria relojoeira suíça, e 36% a mais que no ano anterior.

 

 

Não podia ter dado mais certo para a Apple

 

A Apple inicialmente posicionou o Apple Watch como um produto de luxo, mas entendeu rapidamente que ele seria no futuro um dispositivo orientado ao esporte, à saúde e à moda. Os preços foram reduzidos e o ecossistema de materiais, cores e acessórios aumentou. E, dessa forma, a gigante de Cupertino conseguiu ser líder do setor wearable, lançando apenas um produto, que nem é um dos mais baratos do seu setor.

Agora, pense na assustadora margem de lucro que a Apple obtém com a venda de cada unidade do Apple Watch, e só podemos concluir que essa estratégia deu muito certo.

A Apple não revela os números específicos de relógios vendidos, mas os analistas podem estimar números a partir dos dados dos parceiros minoristas, ou seja, as lojas que acabam comercializando os dispositivos. É evidente que o relógios de pulso analógicos ainda são os mais populares, especialmente junto ao consumidor de mais idade. Porém, a maioria do público jovem, que é a fatia de mercado que realmente interesse para os fabricantes de tecnologia, já optam de forma prioritária por um relógio inteligente.

Nesse sentido, fabricantes suíços tradicionais como Swatch ou Tissot estão perdendo a guerra do smartwatch. A Apple consegue entregar um produto melhor e que atrai cada vez mais aos jovens, enquanto que as marcas de relógios suíços estão perdendo uma enorme oportunidade de vendas. O resultado disso? Toda a indústria suíça de relógios perdeu 13% de cota de mercado em apenas um ano.

Não é a primeira vez que a Apple supera os fabricantes suíços. Ela conseguiu ser líder de mercado durante um trimestre inteiro em 2017. Porém, esta é a primeira vez que consegue um exercício completo de dominância, mostrando que muito além do sucesso pontual de um produto que conseguiu convencer a muita gente, estamos diante de uma importante mudança de tendência de mercado, que está afetando aos protagonistas de toda uma indústria.

 

 

Sim… eu queimei a minha língua…

 

 

Eu fui um daqueles que afirmou categoricamente que o Apple Watch não daria certo. Aí vem a Apple e dá uma paulada na minha cabeça (e na cabeça de muita gente). Eu ainda acho que esse relógio da gigante de Cupertino nem de perto chega a ser o melhor produto do mercado, e afirmo que estou muito feliz com o Amazfit Bip no meu pulso. Porém, contra fatos não há argumentos, e nesse momento bem sabemos qual é a principal referência no mercado de relógios inteligentes.

 

 

Via Strategy Analytics


Compartilhe