Compartilhe

A Apple é previsível e, nesse caso, isso é uma boa notícia, pois é possível saber mais ou menos o que a empresa vai lançar ao longo de um ano com meses de antecipação, mesmo sem saber detalhes específicos sobre cada anúncio.

Assim, é possível ter uma ideia do roadmap da empresa para 2020, com a certeza em receber novas gerações de iPhones, iPads, Watches, AirPods e MacBooks, além da renovação dos sistemas operacionais. Outros produtos estão na zona de rumores, como um computador para jogos e o reforço de serviços como TV, Music e Arcade, além das novidades em realidade aumentada e, quem sabe (finalmente) o carro da Apple.

Nesse post, vamos brincar de futurologia e indicar os produtos que a Apple deve apresentar em 2020.

 

 

iPhone SE2

A Apple precisa de um iPhone menos caro, e reduzir os preços dos modelos da atual geração de iPhones não foi suficiente. Impulsionar programas de financiamento, subsídios de operadoras e melhores condições para trocas de dispositivos antigos também não bastam.

O iPhone SE2 pode aparecer, atualizando o primeiro modelo comercializado em 2016, que caiu no gosto dos fãs da Apple. E não apenas pelo baixo preço, mas também pelo tamanho reduzido, com uma tela de 5 polegadas com um design similar ao do iPhone 8, com um hardware atualizado e sistemas de câmeras mais modestas.

Há quem diga que este iPhone SE2 poderia custar em torno de US$ 399, o que seria o iPhone mais barato da Apple em sua história (considerando o fato do iPhone original de 2007 chegar ao mundo com esse preço). Seu lançamento estaria previsto para o primeiro trimestre de 2020.

 

 

iPad Pro 2020

O novo iPad Pro contaria com um sistema de câmeras externas muito avançado, seguindo os passos do Samsung Galaxy Tab S6, em algo impensado em um tablet top de linha. Essa câmera traseira do iPad Pro 2020 seria muito similar ao conjunto presente no iPhone 11 Pro, com sensor triplo traseiro e suporte da inteligência artificial.

Tais sensores não seriam úteis apenas para fotografia e vídeo, mas também para as aplicações de realidade aumentada, onde os criativos do iPad poderão gravar e editar imagens de qualidade e vídeos em 4K a partir de um único dispositivo, dispensando o uso de um hardware adicional ou a conexão com um Mac.

Do mais, podemos ter dois iPads com telas de 12.9 e 11 polegadas, sem botões frontais, hardware mais avançado, suporte para lápis óticos, cases e teclados, com um preço similar aos modelos atuais. O lançamento desses produtos deve acontecer em abril de 2020.

 

 

Mac Gaming

Um computador da Apple específico para jogos, algo que nunca aconteceu na história da empresa. O modelo pode ser apresentado na WWDC na próxima primavera (do hemisfério norte), e não sabemos se será um desktop, um notebook, um console ou um all in one iMac.

Um computador gaming da Apple não fez sentido… até agora. O Boot Camp resolve o problema de quem quer jogar games do Windows no Mac, mas não de forma plena porque não possui um suporte nativo para essa tarefa. E os jogos para macOS não contam com o suporte exclusivo de nenhum desenvolvedor importante.

Por outro lado, o Apple Arcade e as mudanças no jogo digital pela nuvem ou streaming, um novo mercado pode se abrir, com um enorme potencial e na indústria líder global do entretenimento. A WWDC deve comprovar se a Apple quer se posicionar no mundo dos videogames.

 

 

iPhone 12

Esta é (ainda) a principal fonte de renda da Apple, e iPhone 12 (ou iPhone 2020, como citam alguns analistas) é o carro chefe da empresa para este ano. Há quem diga que podem ser lançados até seis modelos diferentes.

Especula-se que a Apple vai voltar às origens no design, que volta a ser parecido com o iPhone 4, mas com maior complexidade de suas linhas. Muita gente entende que o iPhone 4 foi o melhor iPhone no design e qualidade de construção, de modo que é normal ver este modelo como espelho para uma nova geração.

A Apple deve estrear o suporte para o 5G em todos os iPhones de 2020, e o design do iPhone 12 deverá se adaptar com isso. O notch deve finalmente desaparecer, com a câmera escondida na tela ou na estrutura de cerâmica, mas ainda não sabemos como o Face ID será adaptado sem ela.

A porta Lightning deve morrer de vez, dando espaço para a USB-C, e a tela deve ter taxa de atualização de 120 Hz, priorizando os jogos. Sem falar no novo processador Apple A, um novo sistema de câmeras com mais sensores e melhor resolução, e um estabilizador único. Deve chegar ao mercado no outono de 2020 (no hemisfério norte).

 

 

MacBook Pro

Uma das grandes novidades aqui seria a tecnologia de tela mini LED, que reduz em até 1.000 vezes o tamanho dos LEDs de um monitor ou TV, utilizando tecnologias avançadas como QLED e Full Array Local Dimming, com árias de atenuação local muito superior aos painéis LED tradicionais.

Na prática, essas telas prometem altas relações de contraste, amplas gamas de cores, melhorias nos tons negros, picos de brilho de até 1.500 nits e redução de espaço entre pixel, além de telas ultrafinas que podem reduzir ainda mas as espessuras dos notebooks.

Seu hardware seria atualizado com os processadores Intel Core de décima geração, a substituição dos problemáticos teclados do tipo mariposa (tal e como vimos no novo MacBook Pro 16), além da redução de todas as medidas, indo das bordas de tela até alcançar um novo sistema de refrigeração. Datas de lançamento não são especuladas, pois a Apple costuma atualizar seus notebooks sem aviso prévio.

É importante lembrar que a Apple deve lançar outros produtos em 2020, como o Apple Watch Series 6 e novos iPods, sem falar nos novos óculos de realidade aumentada e novas versões do iOS, macOS, tvOS, iPados e watchOS, que acompanham os novos hardwares e com as primeira versões desses softwares apresentadas na conferência WWDC de junho.


Compartilhe