A Apple confirmou os problemas de temperatura (e desempenho) no novo MacBook Pro 2018 relatado por muitos usuários. A empresa promete a solução por uma correção específica de software na atualização do macOS High Sierra 10.13.6 em distribuição, e pede desculpas “a qualquer cliente que teve um desempenho abaixo do esperado”.

A empresa afirma ter testado exaustivamente as unidades de provas para identificar a ausência de uma chave digital no firmware, que afeta o sistema de gerenciamento térmico como fonte do problema.

Menos mal que seja software. Se fosse um problema de hardware, seria um recall em massa. Porém, temos que esperar o feedback dos usuários para saber se isso vai resolver o problema. Se funcionar, o novo notebook será pelo menos 70% mais rápido que o modelo anterior, enquanto que o modelo de 13 polegadas será duas vezes mais rápido.

O MacBook Pro 2018 traz como principal novidade o uso de processadores Intel Cofe Lake (Core 8 quad-core no Pro 13 e Core 9 no Pro 15).

O problema está no MacBook Pro 15. Os usuários detectaram os problemas. Quando o notebook começa a trabalhar em máxima potência, o Core i9 sofre do excesso de temperatura, o que resulta no thermal throttling, queda importante das frequências de trabalho para evitar que o excesso de calor cause danos ao equipamento.

A queda de desempenho faz com que o Core i9 hexa-core fique abaixo do Core i7 quad-core do Intel Kaby Lake, e com uma diferença notável.

Agora, a Apple é questionada de todas as formas. Como um notebook profissional caríssimo pode chegar ao mercado com um problema de thermal throttling? Afinal, para ilustrar os impressionantes resultados dos benchmarks oficiais, a Apple deveria ter testado a fundo as máximas cargas de trabalho do notebook.

Outro problema foram os textos falando sobre uma suposta “falha de design” no sistema de refrigeração, o que limitaria a potência do Core i9. Algo preocupante para uma empresa obcecada pelo design e por ser sinônimo de qualidade.

Vamos esperar que o update de software resolva o problema, mas… fato é: a Apple hoje é uma “empresa de smartphones”, e o Mac não é uma prioridade para a empresa hoje. Para obter o parche corretivo, clique aqui.