Compartilhe

A Apple publicou os dados relativos à App Store em 2019, e os números seguem impressionantes, mostrando mais uma vez que a pessoa que convenceu Steve Jobs a criar a loja de aplicativos na empresa precisa ter um monumento dentro da sede de Cupertino.

Jobs não queria apps de terceiros quando lançou o iPhone em 2007, mas apesar das reticências iniciais, liberou rapidamente o kit de desenvolvimento que antecipou a loja online que mudaria por completo a indústria mobile, reforçando a incipiente era da mobilidade que estava nascendo.

Na época, o desenvolvimento de software estava nas mãos de poucas empresas, e a App Store abriu as portas para qualquer pessoa ou empresa desenvolver seus apps. Muitos aplicativos na loja da Apple atendem serviços front-ends complexos, como Netflix, YouTube e Instagram (por exemplo).

Sem falar nos aplicativos distribuídos por meio do programa de empresas Enterprise, para uso institucional, permitindo a grandes corporações e agências governamentais desenvolverem aplicativos proprietários, contando com uma loja própria para usuários corporativos.

A App Store inspirou os rivais a adotar um sistema de software similar, entregando a maior parte dos lucros obtidos para os desenvolvedores. A Play Store do Android hoje tem a mesma importância, mesmo com lucros menores. E em uma escala muito menor, temos a Microsoft Store, que tenta ganhar mercado nos apps para computadores pessoais, ao mesmo tempo que a Chrome Store ou a Mac Store não conseguiram replicar o sucesso das lojas mobile, mas complementando os seus respectivos ecossistemas.

 

 

A App Store é uma mina de ouro

A App Store está cada vez mais poderosa. Saiu de um complemento para o iPhone para ser quase mais importante do que os smartphones, já que são imprescindíveis para o seu funcionamento e retroalimentação das vendas dos telefones.

Logo, não é nenhum absurdo ver a Apple bater um novo recorde absoluto de receitas em 2019. Não foram revelados os dados anuais, mas ao menos sabemos que, desde 2008, já foi pago para os desenvolvedores nada menos que US$ 155 bilhões em receitas.

Levando em conta que os desenvolvedores ficam com 70% do preço de compra de um aplicativo na App Store, aumentando para 85% no segundo ano de assinatura, o cálculo final indica que a App Store gerou em 2019 US$ 50 bilhões em receitas para os desenvolvedores, e US$ 15 bilhões para a Apple.

Ou seja, a App Store por si ficaria na posição 64 da lista Fortune 500, na frente da Cisco e de muitas outras gigantes do mercado. Em 2017, os pagamentos para os desenvolvedores na App Store foram maiores do que as receitas do McDonald’s, ou maiores do que os lucros de toda a indústria do cinema.

Tudo isso faz da App Store uma divisão de serviços cada vez mais importante para a Apple, se transformando em um protagonista essencial para a estratégia da Apple em mobilidade, complementando de forma perfeita o conceito geral dos smartphones. Uma mina de ouro que Steve Jobs não queria.

 

 

O melhor da App Store em 2019

A Apple publicou os apps mais populares da loja de aplicativos em 2019:

 

Apps grátis mais populares para iPhone em 2019

1. YouTube
2. Instagram
3. Snapchat
4. TikTok
5. Messenger
6. Gmail
7. Netflix
8. Facebook
9. Google Maps
10. Amazon

 

Games grátis mais populares para iPhone em 2019

1. Mario Kart Tour
2. Color Bump 3D
3. aquapark.io
4. Call of Duty: Mobile
5. BitLife
6. Polysphere
7. Wordscapes
8. Fortnite
9. Roller Splat!
10. AMAZE!!

 

Apps pagos mais populares para iPhone em 2019

1. Facetune
2. HotSchedules
3. Dark Sky Weather
4. The Wonder Weeks
5. AutoSleep Tracker para Watch
6. TouchRetouch
7. Afterlight Photo Editor
8. Procreate Pocket
9. Sky Guide
10. Toca Hair Salon 3

 

Games pagos mais populares para iPhone em 2019

1. Minecraft
2. Heads Up!
3. Plague Inc.
4. Bloons TD 6
5. Geometry Dash
6. Rebel Inc.
7. The Game of Life
8. Stardew Valley
9. Bloons TD 5
10. Grand Theft Auto: San Andreas

 

 

Via CNBC


Compartilhe