Compartilhe

A Jon Peddie Research publicou um relatório sobre os resultados do mercado de GPUs para o segundo trimestre de 2019. Para surpresa de muitos, a AMD superou a NVIDIA pela primeira vez em cinco anos em nos envios de GPUs para o mercado.

É importante observar que não houve muita discriminação no tipo de GPU incluída no estudo. Logo, foram considerados envios para computadores com processadores x86_64 ou AMD64, incluindo gráficos dedicados, aceleradores gráficos incluídos nos processadores (IGP da Intel e APU na AMD) e gráficos orientados a notebooks. Aqui, a AMD tem uma vantagem sobre a NVIDIA ao incluir gráficos e aceleradores gráficos no processador, enquanto que empresa de Santa Clara domina o processamento de gráficos de alto desempenho em laptops.

Porém, o maior vencedor na participação de mercado é a Intel, com 66,9%, perdendo 1,4% dessa presença, tanto em comparação com o segundo trimestre de 2018 como com o primeiro trimestre de 2019. Em segundo lugar, temos a AMD com uma participação de 17,2% no segundo trimestre de 2019, ganhando 4,1% em relação ao mesmo trimestre do ano passado e 9,2% em relação ao primeiro trimestre de 2019.

A NVIDIA perde o segundo lugar ao ficar com 16% dos ingressos, quando no mesmo trimestre do ano anterior ficou com 17% e no primeiro trimestre de 2019 conseguiu monopolizar 16,1%. GPUs discretas foram encontradas em menos computadores no segundo trimestre de 2019 do que no primeiro, passando de 29% para 27%, enquanto no mesmo período o mercado de PCs cresceu 9,25%.

 

 

Por que isso aconteceu?

 

 

Os motivos que levaram a AMD a superar as vendas da NVIDIA não são claros, mas apontam para algumas GPUs Vega que podem ser encontradas com preços relativamente menores e que envelheceram muito bem, para algumas APUs que podem se tornar bem competentes para os menos exigentes com a qualidade gráfica, além do começo promissor da RX 5700 (Windows e Linux).

Outro ponto importante a ser considerado é que esses dados mostram o baixo interesse real dos usuários pelo traçado de raios, uma tecnologia impulsionada (mas não criada) pela NVIDIA. Como não poderia ser diferente, isso destaca ainda mais o fracasso comercial do RTX 20, do qual não apenas estavam se acumulando nas lojas nos últimos meses, que se reflete também entre os usuários do Steam, que preferem gráficos com a tecnologia Pascal.

 

Via Tom’s Hardware


Compartilhe