Compartilhe

No começo de 2019, a Amazon anunciou o Scout, um robô de entregas que não teve muitos detalhes revelados. Agora, descobrimos como ele foi treinado: clonando virtualmente bairros inteiros.

 

 

O treinamento do Scout é bem louco

 

Hoje, a Amazon está testando novas maneiras de entregar os seus pacotes. A entrega por drones é a mais avançada, mas não é a única. Não podemos nos esquecer do robô Scout. Se bem que é difícil esquecer dele.

O que ninguém sabia até agora é a forma muito chamativa em que a Amazon treina o Scout. Ela criou cópias idênticas de bairros inteiros, através de uma simulação virtual.

Os robôs acabam enfrentando testes reais, onde o papel da simulação é fundamental. Por não contar com mapas para navegar pelas imediações, a Amazon se viu obrigada a construir os seus próprios mapas de diferentes vizinhanças.

Para que os mapas sejam detalhados o suficiente, a Amazon combina imagens de alta resolução, dados de GPS, técnicas de aprendizagem automática de vanguarda e a tecnologia LIDAR. Tudo para que a simulação seja a mais real possível.

 

 

Simulações cruciais antes do robô enfrentar o mundo real

 

 

Toda esta metodologia permite à Amazon realizar milhares de entregas simultâneas antes que o robô comece a enfrentar as ruas em um cenário real e prático. Obviamente, apenas uma gigante como a Amazon tem o suficiente poder econômico para clonar bairros inteiros em sua respectiva versão virtual.

Por outro lado, é também a técnica perfeita para que rapidamente o robô não cometa erros (ou pelo menos que não sejam erros em demasia). É preciso levar em consideração que qualquer imperfeição ao seu redor pode representar um problema para o Scout, e tudo isso sem se esquecer de carros, animais ou pessoas que se deslocam no entorno.

Ainda não sabemos se esse robô vai ganhar as ruas em breve. Porém, o que fica claro é que a Amazon está levando o seu treinamento muito a sério.

 

 

 

Via TechCrunch


Compartilhe