Compartilhe

Todos contra o Spotify é a versão musical de Todos contra a Netflix. Dito isso, a Amazon está disposta a oferecer resistência, onde agora será possível escutar músicas no Amazon Music sem pagar nada ou ser um usuário Prime. Isso é, desde que você aguente a publicidade que será veiculada entre as músicas.

É claro que alguém tem que pagar a conta. Não existe almoço grátis.

A Amazon oferecia dois tipos de assinatura mensal: o Amazon Music Unlimited, plano completo com músicas ilimitadas (com três opções de pagamento, dependendo do dispositivo ou da família) e o Amazon Prime Music, plano mais reduzido que é adicionado para todos os clientes do Amazon Prime. Porém, nos dois casos, nada de anúncios.

 

 

Amazon Music disponível para alguns (poucos) países (no começo)

 

 

A ideia aqui é bater de frente com o Spotify grátis, que é utilizado por mais de 90 milhões de pessoas em todo o mundo (em 2018). Pessoas que ouvem música de graça e com as propagandas veiculadas.

Agora, pense no dinheiro que a Amazon pode ganhar em publicidade, e esse lançamento já começa a se explicar.

O Amazon Music gratuito já está disponível no Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha, que vão testar o serviço sem derrubar os servidores da empresa (na teoria), que tem uma das nuvens mais poderosas do mundo (AWS). O serviço oferece um conjunto de canções que, no entendimento da empresa, é uma “seleção dos artistas mais importantes e de milhares de emissoras gratuitas”.

A seleção musical estará disponível nos dispositivos compatíveis com o aplicativo do Amazon Music: iOS, Android e Fire TV. Não é preciso fazer qualquer tipo de assinatura ou ser cliente do Amazon Prime ou digitar um número de cartão de crédito. Basta fazer o download e a instalação do app no dispositivo, e ouvir as músicas (com propagandas). Fica de fora a reprodução via Amazon Echo, algo que o Spotify gratuito oferece nos alto-falantes Google Home.

 

 

Chamando o Spotify para a briga

 

 

A Amazon está enfrentando o Spotify para a briga e, ao que tudo indica, Apple e Google farão o mesmo em algum momento.

As plataformas de streaming estão entendendo que a conta não está mais fechando para os usuários, que não estão mais propensos a pagar por todo o conteúdo disponível. E entre o torrent e a propaganda, parece que a maioria está disposto a ouvir 30 segundos de comercial para ter o conteúdo de graça.

Podemos estar diante de um novo movimento de mudança entre os serviços de streaming, que pode modificar mais uma vez todo um mercado. A conferir.

 

 

Via Amazon


Compartilhe