Compartilhe

Achou que você era um mestre Jedi do Netflix, que sabia tudo sobre a plataforma e que você não tinha mais nada a aprender sobre as suas manhas e segredos?

Achou errado, otário!

(E achou mais errado ainda se pensou que eu jamais usaria um dia na minha vida o bordão do pessoal do Choque de Cultura em um post desse blog)

Tudo o que você consegue ver na página principal da Netflix não é tudo o que existe lá. E isso é bem óbvio. Qualquer fã mais visceral da plataforma de streaming de vídeos mais popular do mundo já entendeu que é preciso garimpar por novos conteúdos ou clássicos escondidos dentro do acervo de filmes e séries.

E se você vê o conteúdo da tela principal e não consegue ver outra coisa, a culpa é do algoritmo da Netflix, que observa quais são as séries e filmes que você assiste para tentar “aprender” qual é o seu gosto, para exibir apenas conteúdos que, segundo a própria Netflix, é compatível com você em pelo menos 90% dos casos.

Logo, é importante que você saiba que existem muitos conteúdos relevantes na Netflix que estão escondidos dos olhos do grande público. Você simplesmente pode ira até o buscador da plataforma e digitar os nomes da lista a seguir.

 

 

Alguns dos filmes “ocultos” na Netflix

Radio (2003) – Michael Tollin
Same Time, Next Year (1978) – Robert Mulligan
The Stranger (1946) – Orson Welles
Touch of Evil (1958) – Orson Welles
Bonnie & Clyde (1967) – Arthur Penn
Adaptation (2002) – Spike Jonze
The Untouchables (1987) – Brian de Palma
Gabo, la magia de lo real (2015) – Justin Webster
Bram Stoker’s Dracula (1992) – Francis Ford Coppola
Straight Outta Compton (2015) – F. Gary Gray
Horns (2013) – Alexandre Aja

 

Alguns desses filmes interessou a você?

De novo: para encontrar essas obras escondidas na Netflix, basta digitar o nome completo do filme dentro do buscador da plataforma. Estes são os filmes que menos aparecem nas recomendações feitas pelo algoritmo. E saiba desde já: não são os únicos.

Tem muito mais de onde veio essa lista.


Compartilhe