Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Internet | Agora o X é abertamente XXX

Agora o X é abertamente XXX

Compartilhe

Como já era de se esperar, o X (finado Twitter) atualizou de forma oficial as suas políticas de uso, e liberou os conteúdos adultos e sexualmente explícitos na plataforma. Sim, tem algumas regras para a publicação, mas não tem mais o risco de banimento só por publicar na rede social.

Com uma plataforma ainda muito influente como o X é, dá para imaginar o tamanho do impacto dessa decisão. A concorrência passa longe de aceitar esse tipo de conteúdo, e o que pode ser visto como um diferencial em relação às plataformas do Meta, também pode ser mais uma pá de cal na tentativa de expansão da rede.

Vou explicar o tamanho do buraco dessa decisão.

 

Entendendo as novas regras

A mudança pode beneficiar aos criadores de conteúdo para adultos e eventualmente se tornar uma nova fonte de receita para o X. Por outro lado, não sei se você verá a Coca-Cola ou a Kellogs investindo em uma rede social que deixou de ser “Family Friendly” de forma oficial e irrestrita.

Falando um pouco das regras de publicação de conteúdos adultos no X, pois sei que sempre vai ter aquele leitor que vai se interessar por isso.

Os usuários podem publicar “nudez ou comportamento sexual produzido e distribuído de forma consensual”, e esse último detalhe da regra é o mais importante de todos: o conteúdo em si deve ser devidamente rotulado e etiquetado, e não pode ser exibido em locais de fácil acesso da conta, como fotos de perfil ou capa da página de usuário.

O X “se lembrou” que muitos menores ainda usam a rede social, e vai bloquear as publicações explícitas para as contas de menores de 18 anos, e para todos os adultos que optarem por não ver esse conteúdo, algo que pode ser feito nas configurações do perfil.

E por motivos óbvios, não é permitido conteúdo que promova exploração sexual, falta de consentimento ou sexualização de menores, pois em alguns países (incluindo o Brasil) tais práticas são consideradas criminosas.

É sempre bom colocar uma certa ênfase nessa parte, já que algumas pessoas desprovidas de códigos morais e éticos insistem em não dar a mínima para esses aspectos.

 

Contexto e implicações

É importante lembrar que a medida no X não chega a ser uma novidade: o próprio Twitter já permitia a nudez nas publicações antes de ser comprado por Musk. Estima-se que 13% de suas publicações eram conteúdo para adultos.

Formalizar essas políticas de conteúdo busca equilibrar a “liberdade de expressão sexual” com a proteção daqueles que não desejam ver pornografia na X em geral e de menores de idade em particular.

Ao mesmo tempo, é uma forma do próprio X se respaldar e punir de forma mais efetiva os excessos e violações, além de tirar a responsabilidade de suas costas por eventuais crimes cometidos por seus usuários dentro da rede social.

Estabelecer regras preventivas e punitivas é uma das grandes dificuldades de plataformas que são conhecidas por permitir os conteúdos adultos sem maiores problemas, como são os casos do Tumblr e do OnlyFans.

Aliás, dá até para imaginar que o X tomou a decisão de liberar o p0rn na rede social justamente para competir com o OnlyFans, pois seu alcance é muito maior, o que pode resultar em um enorme potencial de capitalização para a plataforma e para os criadores de conteúdo.

Enquanto isso, reguladores e legisladores de todo o planeta pressionam as redes sociais para evitar que crianças possam acessar esse tipo de material nas redes sociais. O que me parece meio inútil, já que qualquer pessoa está a dois cliques de distância de conteúdo adulto na internet.

E isso inclui o Papa Francisco e a sua avó. Bom, se a sua avó me conhece, ela só está a um clique de distância do p0rn. Mas isso não vem ao caso.

De qualquer forma, é Elon Musk fazendo o que sabe de melhor: polemizar. Abraçar os conteúdos adultos de forma aberta é mais um movimento controverso do dono da Tesla na tentativa de deixar o X uma rede social muito diferente de suas rivais.

Vamos dar tempo ao tempo. Pode ser que dê certo. Mas o potencial de dar errado é significativo.

O que vale mais: o dinheiro de pessoas dispostas ao prazer solitário, ou dos anunciantes que enchem o nosso feed de propaganda a cada 10 mensagens visualizadas?


Compartilhe