Um adolescente australiano é acusado de hackear a Apple, ao entrar na rede da empresa para roubar 90 GB de dados de seus clientes.

O menor foi acusado de ter baixado arquivos da empresa durante um ano, e se defende nos tribunais que só fez o que fez por “amor à Apple”.

Vamos ver.

Para roubar o coração (e os dados) da Apple, o jovem hacker criou diferentes backdors e sistemas bypass para passar desapercebido. Seu objetivo era claro: acessar arquivos e dados dos clientes da empresa.

O jovem foi preso na casa dos seus pais (ele tem 16 anos de idade). Todos os seus equipamentos foram registrados, e dois notebooks, um smartphone e um disco rígido foram confiscados.

O mais engraçado de tudo isso é que os 90 GB de dados roubados estavam salvos em uma pasta chamada “hacky hack hack”.

Bom humor o desse jovem, não?

O que nos resta agora? Questionar a segurança da Apple, oras!

 

 

Não foi apenas um hacker bisbilhotando arquivos, mas sim um jovem fã da empresa, que sequer se dedica profissionalmente ao cibercrime.

A Apple explicou que detectou e bloqueou diferentes invasões em seus servidores, e denunciou ao FBI para que investigassem os casos. As pistas apontaram para Melbourne, na casa onde o jovem vivia, cuja identidade não foi revelada, por ser um menor de idade.

A Apple informou aos seus usuários que, inicialmente, não há riscos no ataque, e que os seus dados não foram afetados, mas que seguem investigando o caso. Mas é difícil dizer que “nada aconteceu” quando um adolescente rouba 90 GB de dados de clientes em um servidor.

Por enquanto, o adolescente não sabe qual é a pena que ele terá que enfrentar. Ele foi considerado culpado pelas acusações, mas a sentença não deve ser revelada até o próximo mês de setembro.

Um adolescente, minha gente. E estamos falando da Apple.

Não foi pouca coisa o feito do rapaz.

 

Via The Age