Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | TV Por Assinatura e Streaming | Adeus, TV Shoptime? Não é bem assim…

Adeus, TV Shoptime? Não é bem assim…

Compartilhe

O Shoptime não morreu. Só vai para onde todo mundo está indo: para o digital.

Recebi a notícia sobre o fim do primeiro canal de vendas da TV paga no Brasil, o Shoptime. A “morte” acontece por conta dos acontecimentos envolvendo o processo de recuperação judicial do grupo Americanas, que tem nada menos que R$ 47,9 bilhões em dívidas.

Com isso, eu me sinto melhor ao ver que estou devendo muito menos na praça.

Então, quando vou procurar mais informações sobre o assunto para escrever esse artigo, me deparo com a decisão do Shoptime migrando por completo para o digital.

E penso: “bom, está tudo certo… quem é que ainda assiste TV por assinatura mesmo?”.

 

Vai para onde todo mundo está indo

É evidente que ir para a internet é a bola de segurança do grupo Americanas para o Shoptime, já que os custos operacionais para enviar um canal de TV para as parabólicas e empresas de TV por assinatura são muito maiores do que manter esse canal pela internet.

A prova do que estou falando está no simples fato de grandes comunicadores que estão mirando a internet como a principal plataforma de divulgação e comunicação, nas mais diferentes plataformas. Até mesmo a ESPN está pensando em entregar os seus canais lineares na internet, algo que já comentei neste blog.

Por isso, não dá para dizer que o Shoptime efetivamente morreu. Só está mudando para um lugar que todo mundo está indo, o que é um movimento bem lógico. Tenho dúvidas se é economicamente sustentável para um grupo que está com uma dívida bilionária. Mas não dá para dizer que é uma decisão lógica.

Pela lei, Claro e Sky terão que substituir o Shoptime por um canal dentro do mesmo perfil. Mas… não sei se isso será possível. O formato importado dos Estados Unidos está se tornando cada vez menos popular em uma TV por assinatura que perde audiência ano após ano, e não podemos também descartar a possibilidade dessa erosão da audiência da TV paga brasileira entrar na equação da decisão tomada pelo grupo Americanas.

 

E o legado do Shoptime? Como fica?

Bom… Ciro Bottini… muito obrigado pelos serviços prestados.

Jamais vi informerciais tão bem sucedidos quanto aqueles protagonizados pela imagem mais importante do Shoptime ao longo dos anos de atividades do canal.

Não foram poucas as vezes que eu vi os programas de eletrônicos, informática e tecnologia apresentando os produtos que eu gostaria de comprar e, em alguns casos, eu não tinha a grana para investir nesses produtos. Mas sempre alimentei o meu desejo de falar sobre o assunto também acompanhando os programas do Shoptime.

Hoje, o brasileiro está muito mais maduro para comprar na internet, confiando muito mais nas plataformas digitais e consumindo conteúdos online com maior frequência que na TV aberta ou paga. Logo, é discutível a importância e relevância do Shoptime quando o canal está restrito na TV por assinatura.

Eu espero, de verdade, que o Shoptime consiga sobreviver em uma internet onde a concorrência é maior, com um público muito mais diversificado e com produtores de conteúdo que são muito mais influentes que o próprio Ciro Bottini.

Mas… quem sabe o próprio Bottini convença o internauta brasileiro a comprar no Shoptime pela internet. Mesmo considerando a dívida enorme do grupo Americanas.


Compartilhe