Compartilhe

A Mozilla desenvolveu uma nova ferramenta que serve mais para confundir do que explicar. A iniciativa demonstra como o tema dos cookies pode impactar a experiência de uso do navegador para o usuário: o Track THIS é um site que tem como missão confundir os anunciantes.

Como ele faz isso? Simples: abre um total de 100 abas no navegador sobre um tema específico, fazendo com que os anunciantes mudem o perfil ou a perspectiva que eles possuem de um determinado usuário.

 

 

Como ser asquerosamente rico?

 

 

O processo é simples (mas o seu computador vai sofre). O site abre automaticamente um total de 100 novas abas de sites que normalmente costumam abrir as pessoas ricas. Alguns perfis pré-determinados (paranoicos, modistas, influencers, etc) podem ser selecionados. Depois de fechar as abas aos poucos, o usuário verá anúncios diferentes daqueles que gostaria de ver.

Essa é uma forma de “treinar” os cookies, pois quantas mais vezes são abertas essas abas e de forma regular, mas os cookies acreditam que são esses os assuntos que você quer ver. E se você não abre mais tais conteúdos, com o tempo, ele volta a adaptar o perfil aos interesses reais dos usuários, de acordo com a sua navegação real.

 

 

Por que o Track THIS confunde os anunciantes?

 

 

Os rastreadores em sites contam com um processo de funcionamento bem complexo, com vários fatores influenciando. Porém, e para simplificar o processo, podemos dizer que os cookies são pequenos códigos colocados pelos anunciantes em sites. Sempre que um usuário com um determinado IP visita um site, isso é armazenado em um ‘histórico’, que no final contém dados suficientes para o anunciante saber quais são os interesses desse usuário, criando um perfil anônimo do mesmo.

Inicialmente, isso faz com que a publicidade que o usuário vai ver seja de acordo com os seus interesses. Porém, os perfis obtidos pelos anunciantes são cada vez mais completos, conseguindo compreender os hábitos de consumo de cada pessoa.

 

 

Existem diferentes soluções para esse problema, mas muitas delas implicam sacrificar parte da experiência de uso do navegador, como por exemplo desativar o motor de JavaScript para que os browsers não executem os cookies, mas prejudicando a navegação na maioria dos sites.

Outra solução é apagar os dados de histórico de forma periódica, ou navegar em modo anônimo para dificultar o rastreamento. Também é possível usar navegadores como o próprio Firefox e o seu novo modo de proteção contra rastreamento. O Safari no macOS também combina a maioria dos dados que enviam os sites para anunciantes com os dos milhões de usuários do navegador… mas faz isso para que o perfil seja “o mais geral possível”.

Sei… eu acredito…

De qualquer forma, para quem vai tentar abrir 100 abas no navegador de uma tacada só… boa sorte. Você vai precisar.

 

Acesse | Track THIS

 

Via Mozilla


Compartilhe