A surpreendente diferença entre os dos modelos do MacBook Air (2020) com ARM

Compartilhe

Temos novos computadores da Apple com os seus novos processadores Apple Silicon com ARM, representados no primeiro chip, o Apple M1. Os novos MacBook Air, MacBook Pro e Mac Mini passam a contar com essa proposta de hardware, que promete uma performance surpreendente e uma experiência de uso mais afinada com o macOS Big Sur, sistema operacional que gerencia os dispositivos.

MacBook Air e MacBook Pro são notebooks com propostas muito diferentes. Enquanto que o segundo é um computador mais robusto e pensado para o uso preferencial em casa ou no escritório, o primeiro é fino, leve, potente e totalmente voltado para a portabilidade.

Temos dois modelos do novo MacBook Air que se diferenciam essencialmente pela capacidade de armazenamento SSD. Fora isso, eles compartilham praticamente as mesmas características… com exceção de um curioso e relevante diferencial, que merece uma menção em um post exclusivamente dedicado ao tema.

 

 

 

A curiosa diferença que existe nos dois MacBook Air 2020

 

 

Os dois modelos do novo MacBook Air 2020 contam com o processador Apple M1 com CPU de 8 núcleos trabalhando com um motor Neural Engine de 16 núcleos. Até aí, tudo bem. Porém, eles não são rigorosamente iguais: enquanto que a variante com 256 GB de armazenamento possui uma GPU de 7 núcleos, o modelo com 512 GB de SSD apresenta uma GPU de 8 núcleos.

Por que a Apple fez isso?

Na verdade, não foi a Apple que determinou esta sutil diferença entre as duas GPUs. Essa diferença existe por causa do binning de chips, que é uma técnica que permite classificar os componentes em função do seu desempenho e qualidade após a fabricação dos mesmos.

Por conta das complexidades associadas na produção de componente de PC, produzir um chip perfeito é um enorme desafio, e qualquer pequeno defeito, por mais insignificante que possa parecer, vai impedir que aquele componente seja 100% perfeito.

Por causa disso, depois que os componentes são fabricados, as marcas realizam diversos testes para estabelecer a classificação dos chips em diferentes categorias, dependendo dos resultados de rendimento obtidos pelos testes. Assim, aqueles componentes que contam com um maior nível de perfeição terão uma classificação melhor do que aqueles que não são tão perfeitos assim.

E é aqui que está a grande diferença entre os dois modelos de MacBook Air 2020 com ARM apresentados pela Apple. E é importante deixar claro que não foi a gigante de Cupertino que solicitou para a TSMC (empresa que fabricou e montou os processadores) que fabricasse uma versão do Apple M1 com uma GPU de 7 núcleos. O que acontece é que, no modelo mais básico, foram fabricados chips que sofreram um pequeno dano na GPU durante o seu processo de produção.

 

 

 

Conclusão

 

Você até pode achar que esse tipo de problema é algo considerado inaceitável para uma empresa do tamanho da Apple, mas a situação descrita nesse post é mais comum do que parece. Vários outros fabricantes de produtos de tecnologia passam por isso, mas só um produto como o MacBook Air é relevante o suficiente para que blogs de tecnologia falem sobre o assunto.

Agora, você já sabe: além dessa falha mencionada neste post, a outra grande diferença entre as duas versões do notebook ultrafino da Apple é mesmo na capacidade de armazenamento do SSD. E nada mais (até segunda ordem).

 

 

Via 9to5Mac


Compartilhe