Compartilhe

Como você bem sabe, a Sony decidiu ficar de fora da próxima edição da E3. A notícia chocou meio mundo, e tem um motivo bem óbvio: se expor em um momento posterior para falar do PlayStation 5. Mas há quem diga que essa foi uma má ideia.

Michael Patches, analista de mercado, afirmou que a decisão da Sony é estranha, e pode ser muito ruim para o futuro dos seus consoles. Reforçou também que a Sony entende que não vale investir o dinheiro para se fazer presente na E3, e tudo indica que a empresa volta para o evento em 2020.

Eu não sei o valor que uma empresa gasta em uma edição da E3, mas fato é que a visibilidade nesse tipo de evento sempre é muito grande. E pensando dessa forma, a decisão da Sony pode mesmo parecer bem ruim.

Por outro lado, a Sony vai ficar de fora da E3 porque não tem nada de novo para mostrar. O PlayStation 4 está encerrando o seu ciclo, e a maioria dos principais jogos foram apresentados nas feiras que já aconteceram. Tudo bem, ainda tem vários jogos interessantes que precisam ser apresentados, como The Last of Us Part 2, Ghost of Tsushima, Death Stranding, Days Gone e outros.

E vale lembrar que a Sony deve lançar mais um jogo exclusivo para o PS4 nos próximos meses. Um vazamento recente aponta para um game AAA.

 

 

Mas o objetivo principal está nos esforços para preparar o lançamento do PlayStation 5, que é considerado algo iminente. Um anúncio em 2019 para um console que chegaria ao mercado em 2020 se alinha com as afirmações da AMD, que mencionam o aumento significativo da empresa no segmento dos APUs a partir de 2020.

Vale lembrar que o PlayStation 5 vai usar uma APU AMD com CPU octa-core Ryzen Zen 2, além de uma GPU Radeon Navi, o que deve resultar em um console que pode alcançar os 4K/60 FPS em qualquer jogo.

Em resumo: esperar pode fazer bem para a Sony em longo prazo, já que um novo console está para chegar. O problema é se a Microsoft arrebentar tudo na E3 2019 apresentando a nova geração do Xbox.


Compartilhe