Wetten.com Brasil Apostas
Home » Software » A privacidade do Windows 10 volta a ser tema, por conta de alguns termos de uso

A privacidade do Windows 10 volta a ser tema, por conta de alguns termos de uso

Compartilhe

650 1000 tech preview start menu Windows 10 é oficial: conheça em detalhes o novo sistema operacional da Microsoft

O Windows 10 Technical Preview, a edição preliminar do novo sistema operacional da Microsoft, já está disponível para download. E aos poucos vamos descobrindo os detalhes sobre o produto. O detalhe que esse post aborda é preocupante: ao aceitar os termos de uso do Windows 10 TP, damos a permissão para que a Microsoft colete uma grande quantidade de nossos dados.

A política de privacidade do Windows 10 descreve esses termos. Alguns são mais ou menos ‘razoáveis’ para a melhoria do produto por conta da experiência dos usuários que testam o software:

A Microsoft coleta informações sobre você, seus dispositivos, aplicativos e redes, e o uso dos seus dispositivos, aplicativos e redes. Entre os exemplos dos dados coletados estão o seu nome, endereço de e-mail, preferências e interesses; navegação, histórico de busca de arquivos, chamadas telefônicas e SMSs, configuração de dispositivos e sensores, dados e uso de aplicativos.

A parte preocupante desses termos vem agora:

Se você abre um arquivo, é possível coletar informações sobre o arquivo, o aplicativo utilizado para abrir o arquivo e quanto tempo ele leva para realizar tarefas com ele, para melhorias de desempenho. E se você digita um texto, é possível coletar os caracteres que escreve, para propósitos como melhorar as características de autocompletar textos ou correção ortográfica.

No site ZDNet, foi comentado como o Windows 10 supostamente integra um novo ‘sistema de telemetria em tempo real’, com o nome de código ‘Asimov’ (outro nome influenciado com o game Halo), que permite que a equipe desenvolvedora do sistema operacional possa ver em tempo real o que acontece com as máquinas dos usuários. Agora parece que tal afirmação tem muito sentido.

A Microsoft não se pronuncia sobre o assunto. Por enquanto.

Via The Inquirer, ZDNet


Compartilhe