Compartilhe

Eu considero isso aqui uma abominação gigante, apesar de acontecer apenas e tão somente porque os hábitos e costumes dos consumidores da era digital e dos smartphones mudaram a ponto de muita gente perder o bom senso no formato de visualização de vídeos no telefone.

Mesmo que eu não goste disso, a verdade é uma só: cada vez mais as empresas de mídia e entretenimento estão adotando o formato de exibição de conteúdo na vertical, uma tendência que agora é uma realidade de consumo de muita gente.

Evidências sobre o que eu estou falando não faltam. O Instagram tentou criar o seu “YouTube da vertical” com o IGTV (que, na minha modesta opinião, nunca disse a que veio) e o próprio YouTube tem adaptações específicas para vídeos nesse formato.

 

 

No caso dos esportes, e principalmente no futebol, as transmissões estão pensadas para a visualização na televisão, em um formato horizontal ou panorâmico em 16:9, que é o ideal para ter uma visão mais ampla da ação, com exibição de um cenário geral do evento esportivo.

Porém, com a crescente demanda de conteúdo nos smartphones e nas redes sociais, a Liga Alemã de Futebol (DFL) realizou em formato de testes a primeira transmissão do mundo no formato de exibição de conteúdo do esporte na vertical, em 9:16.

 

 

Pensada nos smartphones e nas redes sociais

 

 

Em uma transmissão esportiva da DFL, são utilizadas 19 câmeras, incluindo câmeras aéreas, nas traves, câmeras para capturar detalhes ou closes e câmeras que acompanham um jogador em específico. Algumas dessas câmeras são em resolução em HD, mas a maior parte da transmissão de jogos desse campeonato utiliza imagens em UHD ou 4K.

Lembrando que isso é na Alemanha. No Brasil, o 4K ainda está engatinhando.

Pois bem, em 4 de dezembro de 2019, durante o jogo da Bundesliga entre VfL Wolfsburg vs SV Werder Bremen, a DFL inseriu cinco novas câmeras que captaram imagens no formato vertical em 9:16. Para isso, foram utilizados tripés especiais que permitiam o giro das câmeras em 90 graus. Na sala de controle, os monitores também foram girados para a transmissão em formato especial.

As cinco câmeras foram adicionadas na transmissão, com o seu sinal ao vivo enviado para as TVs, que receberam as mesmas imagens em formato 16:9. Por outro lado, quando o sinal era enviado para dispositivos móveis, as imagens eram transmitidas na orientação vertical, no formato 9:16.

 

 

A DFL deixa claro que este foi um teste que atende às mudanças de comportamento de uso dos meios de comunicação, além do crescente consumo de vídeos nos dispositivos móveis.

A DFL também afirma que os testes foram satisfatórios, reforçando que os vídeos na vertical nas redes sociais e dispositivos móveis contam com uma melhor recepção que os vídeos gerados na orientação horizontal. Por enquanto, os resultados da transmissão serão utilizados para avaliar internamente a resposta dos espectadores.

 

 

 

O que eu penso de tudo isso?

 

 

Pode me chamar de velho. Eu sou mesmo. Tenho 40 anos nas costas e me sinto um velho. Por isso, essa mudança de comportamento dos usuários na hora de consumir conteúdos de vídeo não me agrada em nada.

Eu até entendo que isso só esta acontecendo porque as pessoas estão consumindo uma maior quantidade de vídeos no smartphone. Mas… é mesmo tão desconfortável assistir um vídeo na orientação horizontal? Só posso imaginar que sim: que as pessoas não querem ficar segurando o telefone com as duas mãos ou na horizontal, e preferem sustentar o dispositivo na vertical, com apenas uma das mãos.

Dito isso, é bom Martin Scorsese começar a se desesperar (e muito), pois o filme O Irlandês foi todo capturado na orientação horizontal. Se ele já estava reclamando que as pessoas iam assistir o filme dele em telas pequenas, imagine quando ele descobrir que muita gente prefere a orientação vertical para visualizar conteúdos em vídeo.

Por enquanto, não há uma nova data para a próxima transmissão ao vivo no formato 9:16, mas é esperado que ao longo de 2020 novos testes aconteçam, e isso pode ajudar se teremos uma mudança definitiva ou se nada vai mudar.

 

Via DFL


Compartilhe