Compartilhe

Muita gente está em casa há quase 60 dias por causa do confinamento em função da emergência sanitária atual, e muitas dessas pessoas mudaram radicalmente os seus hábitos. Um dos grandes desafios do isolamento social é tentar matar o tempo de alguma forma.

Tem gente fazendo o home office (é o meu caso e, pensando assim, eu pratico a quarentena há 12 anos graças ao TargetHD.net), outros estudam, e tem aqueles que realizam tarefas que ficaram pendentes, como jogar videogames e/ou realizar o streaming de jogos online, sem falar no consumo de conteúdos audiovisuais… por streaming.

Muitos decidiram tirar a poeira dos velhos consoles de videogames (ou adquirir os muito populares consoles retrô) para jogar horas e horas (em alguns casos, com o objetivo de terminar algum jogo mais complicado). Mas teve uma galera que decidiu ver todo o conteúdo de séries e filmes que estavam pendentes na agenda, mas que o dia a dia impediam pelo consumo de tempo com outras tarefas.

Se por um lado muitas pessoas redescobriram o valor da TV por assinatura para obter informação e entretenimento durante o período de isolamento social, por outro lado o streaming mostra toda a sua versatilidade, também registrando ganhos de assinantes.

Nesse post, vamos observar essa versatilidade dessa proposta, e como é o comportamento do público geral nesses primeiros meses de quarentena.

 

 

 

O impacto do confinamento no streaming

 

 

Mas tudo indica que temos um grande campeão no consumo de conteúdo durante a quarentena, e é mesmo o streaming de vídeos.

O site BGR apresentou um estudo sobre os gêneros que ganharam uma maior popularidade durante o período de isolamento social, com grande parte do seu estudo acontecendo nos Estados Unidos, mas que oferecem uma boa amostra sobre o comportamento que muito provavelmente está acontecendo em outros países, uma vez que estamos falando de um público e uma faixa etária com comportamentos muito similares.

Os programas de TV com desenhos animados e propostas familiares foram os mais consumidos entre os usuários. Algo mais do que lógico e esperado, especialmente em um período de emergência sanitária. As animações lideram a lista pois as crianças estão em casa e bem longe de voltar para a escola (esse grupo deve ser o último a deixar a quarentena).

Os produtores de TV que estavam com os seus programas em processo de edição apertaram o passo para aproveitar esse momento de alta dos serviços de streaming. Afinal de contas, com mais gente em casa e precisando consumir filmes e séries para espairecer a mente, é a hora de editar filmes e séries em casa para que as pessoas possam assistir a esses conteúdos no conforto de suas residências.

Outras categorias de programas de TV e conteúdos de entretenimento que ganharam notoriedade durante o período de quarentena foram os musicais, ficção científica, fantasia e comédias ou sitcoms.

Algo curioso foi observado nesse estudo: conteúdos televisivos e do cinema com gêneros biográficos, documentários, guerra, romances, história, terror e criminais reduziram a sua quantidade de downloads e visualização, em relação aos meses prévios ao confinamento. Ou seja, fica claro que os usuários estão procurando por conteúdos mais positivos e motivacionais (pelo menos por enquanto).

 

 

Via BGR


Compartilhe