Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Notícias | A Microsoft “odeia” o Android… só na China?

A Microsoft “odeia” o Android… só na China?

Compartilhe

A Microsoft informou a seus funcionários na China que, a partir de setembro, eles deverão usar apenas iPhones no trabalho, deixando de lado os dispositivos Android nos ambientes laborais da empresa.

A decisão pode soar estranha para os mais leigos e até mesmo para quem está por dentro dos movimentos do mundo da tecnologia. Afinal de contas, a Microsoft recebe parte dos royalties do Android, e o iPhone é da Apple, uma empresa que, de certo modo, é concorrente da gigante de Mountain View (mas não no segmento de smartphones ou plataformas móveis).

Por isso, vale o questionamento: por que a Microsoft está odiando o Android de forma específica na China.

E esse movimento passa longe de ser algo aleatório.

 

As medidas da Microsoft contra o Android na China

A medida faz parte da estratégia global “Secure Future Initiative” da Microsoft, que afetará centenas de trabalhadores em todo o país. Aparentemente a decisão está restrita à China, mas nada impede que a empresa adote a mesma medida em outros mercados internacionais.

Além da exigência de usar iPhones, a Microsoft também obrigará seus funcionários na China a utilizar o aplicativo Microsoft Authenticator, software que não só autoriza o usuário a acessar suas credenciais em outros dispositivos, mas também atua como gerenciador de senhas.

Como o Google Play Store não está disponível na China, a única maneira de acessar o Microsoft Authenticator é por meio da App Store da Apple, o que é algo ainda mais inusitado, considerando os nomes das respectivas empresas que, historicamente, sempre foram consideradas rivais.

Na prática, a Microsoft bloqueará o acesso a dispositivos Android, incluindo modelos de fabricantes chineses como Huawei e Xiaomi. Não está claro se Samsung e Motorola entrarão na lista de bloqueados, mas tudo me leva a crer que SIM.

Mas… espere… tem a cereja do bolo.

 

Funcionários vão receber um iPhone 15

Para estimular, motivar ou ajudar a cumprir com as determinações estabelecidas, a Microsoft também informou que fornecerá iPhones 15 a todos os funcionários que atualmente usam dispositivos Android.

Os telefones da Apple serão disponibilizados em diversos pontos de acesso na China, incluindo Hong Kong, onde os serviços da Google estão disponíveis. Ou seja, está mais do que evidente que a Microsoft não quer mesmo que os seus profissionais nesses países asiáticos sigam utilizando o Android, sob nenhuma circunstância.

Não sei se isso foi decidido dessa forma apenas e tão somente pelas questões de segurança. Não quero dizer também que a Microsoft não tem os seus motivos para se preocupar, já que a empresa foi alvo de repetidos ataques cibernéticos nos últimos meses, alguns deles relacionados à Rússia.

Porém, eu não posso deixar de pensar (também) nas implicações comerciais, já que vivemos em um mundo capitalista. E um acordo poderia muito bem favorecer à própria Microsoft neste aspecto.

Estamos falando em um país onde a popularidade do iPhone é alta (já foi maior), e fazer com que os funcionários do tamanho de uma rival como a Microsoft estará presente em um smartphone mais seguro que um Xiaomi é marketing positivo para a turma do Nadella.

E a Apple também ganha como reforço de marketing o fato de ter o smartphone oficial dos funcionários da Microsoft na China.

No final das contas, é um bom negócio para todos os envolvidos.

 

Via Bloomberg e The Verge


Compartilhe