A FIFA confirmou que foi hackeada em março de 2018. Seus computadores foram comprometidos e pessoas não autorizadas tiveram acesso ao sistema interno da organização. Não foram confirmados que tipos de dados foram vazados.

 

 

O segundo hackeamento em dois anos

 

Em 2017, um grupo associado a agências de segurança russas obtiveram dados da FIFA, o que resultou com a publicação de uma lista de provas de dopagem de alguns futebolistas.

Por enquanto, não sabemos quais tipos de dados foram vazados, mas alguns grupos europeus confirmaram que vai publicar alguns deles em reportagens que serão anunciadas nos próximos disas.

Naquela ocasião, os responsáveis da UEFA foram objetos de um ataque de phishing, na tentativa de obter credenciais para acessar o sistema informático da FIFA.

 

 

São informações muito comprometedoras

 

Responsáveis da FIFA e da UEFA estão preocupados com informações sensíveis que foram expostas, tanto sobre as entidades como a dos futebolistas, e não seria a primeira vez que um vazamento traria problemas aos jogadores.

Alguns documentos vazados previamente resultaram em investigações por evasão fiscal. Também vimos casos pessoais, como o acordo que Cristiano Ronaldo fechou com a mulher que o acusou de assédio sexual em um hotel de Las Vegas.

A FIFA emitiu um comunicado criticando a obtenção ilícita desse tipo de dados. Que serão revelados nas próximas semanas.