A Black Friday 2018 foi, mais uma vez, uma Black Fraude. O site de comparativos de preços Zoom analisou a variação de preço de diversos modelos do iPhone, mostrando para o consumidor o preço dos produtos ao longo do ano e a sua variação de preço.

A lista tem vários modelos antigos do iPhone, mas com preços muito diferenciados. O iPhone 7 (2016) foi encontrado com uma variante de preço de até 103% e de 18% no iPhone XR. Lembrando que a busca é dinâmica, e isso pode ter alterações nos preços.

É uma prática que, muito em particular, considero nefasta por parte do varejo brasileiro. E o máximo que podemos fazer em uma situação como essa é não comprar o produto. Frear o impulso consumista é algo fundamental nessas horas.

Mas tal ‘privilégio’ de ‘tudo pela metade do dobro’ não ficou restrita ao universo do iPhone. Os smartphones Android mais desejados pelos consumidores, e merecem uma lista de Top 10. Na verdade, são três listas, aglutinando os dispositivos mais populares do Android, mas com temas diferenciadas. A variação nos valores rastreados chega a até 160% no Galaxy J6 (2018) e de 84% no Galaxy S9 Plus.

Passou da hora do varejo brasileiro entender que a Black Friday é muito mais um privilégio para o consumidor do que uma forma fácil do comércio ganhar dinheiro às custas de quem está comprando. Depois de tanto divulgarmos sobre as práticas nefastas das lojas, está cada vez mais difícil para enganar clientes.

O TargetHD.net, com o passar dos anos, foi desistindo da Black Friday Brasil, pelo simples fato da mesma não ser vantajosa nem para nós, como anunciantes, nem para o consumidor, que acabava pagando “tudo pela metade do dobro”.

Infelizmente, a Black Friday Brasil 2018 foi apenas um ‘mais do mesmo’ de tudo o que vimos nos últimos anos. Poucas foram as ofertas realmente atraentes, e a filosofia das lojas passa apenas pelos lucros pelo menor esforço. E só piora com tais práticas criminosas.

 

Via Zoom, Zoom