Em 25 de setembro de 1928, dois irmãos fundaram a Galvin Manufacturing, uma empresa que lançaria o rádio Motorola. Hoje, 90 anos depois do nascimento da Motorola, revisamos os dispositivos que ajudaram a marca a chegar tão longe.

A empresa norte-americana é conhecida pelos seus rádios e tecnologia de telecomunicações, mas foram os telefones móveis que foram os principais protagonistas dessa história.

 

 

Os nove telefones móveis mais importantes da história da Motorola

 

Este é um breve resumo do histórico da marca, indo do Hello, Moto até a era Lenovo, sem deixar de lembrar a era Google.

 

 

Motorola DynaTAC 8000X

 

 

Foi o primeiro telefone móvel de uso comercial da história. Custava caro (US$ 4 mil), mas marcou um ponto de ruptura no setor de telefonia.

Lançado em 1983, pesava 800 gramas, e protagonizou uma chamada telefônica histórica a partir de um carro para o neto de Alexander Graham Bell.

Sua bateria tinha autonomia de até 60 minutos, e levava 10 horas para ser carregada. Mesmo assim, vendeu 300 mil unidades.

 

 

Motorola Microtac

 

 

Lançado em 1989, foi considerado um sucesso de miniaturização da sua época (23 cm, 350 gramas). O modelo contava com um teclado T9, calculadora, viva-voz e pequena tampa para proteção. Um dispositivo a frente do seu tempo.

 

 

Motorola StarTac

 

 

Lançado em 1994, é (talvez) o maior sucesso comercial da Motorola. É o primeiro telefone em forma de concha, com design que ocultava o teclado.

Pesava 88 gramas, e trazia como novidades o sistema de vibração para chamadas e o SMS. Vendeu 60 milhões de unidades, apesar de custar aproximadamente US$ 1.000.

 

 

Motorola RAZR V3

 

 

Chegou ao mundo em 2004, e era um telefone em formato concha muito avançado. É um dos telefones mais vendidos da história (130 milhões de unidades).

Era um celular muito fino, e rapidamente se transformou em símbolo de cultura pop, aparecendo em filmes como O Diabo Veste Prada e séries de TV como Lost.

 

 

Motorola ROKR

 

 

O primeiro celular compatível com o iTunes, dois anos antes do iPhone. A parceria entre Apple e Motorola resultou no Motorola Rokr E1, e o modelo antecipou a ideia de smartphone.

Era um celular com design clássico, mas com um reprodutor de música integrado. Steve Jobs apresentou esse telefone como um “One More Thing”, mas não é um dos maiores sucessos comerciais da Motorola.

 

 

 

 

Motorola Droid

 

 

O Motorola Droid (Motorola Milestone na versão internacional) foi um smartphone Android fruto de um acordo entre Motorola, LucasFilm e Verizon.

Contava com teclado físico QWERTY, tela touch de 3.7 polegadas, WiFi, câmera de 5 MP e bateria removível. No seu interior, trazia o Android 2.2 Froyo e foi um dos primeiros a abandonar o Motoblur para apostar em um software mais próximo da Google.

 

 

Moto G

 

 

O Moto G de 2013 foi um divisor de águas. Representou um conceito que segue vivo até hoje, com um dispositivo de linha média com desempenho invejável para o seu preço e atualizações constantes.

Um telefone importante para quem não queria gastar tanto dinheiro por um dispositivo que funcionasse de forma decente.

 

 

Moto X

 

 

Mais um fruto da era Google. Contava com tela de 4.7 polegadas AMOLED, câmera de 10 MP, 2 GB de RAM e recursos como OK, Google e notificações com a tela apagada.

Tem conceito similar ao Nexus, com ótima fluidez e Android com poucas customizações. Um ótimo smartphone, mas que deixou de ser prioridade quando a Motorola foi parar nas mãos da Lenovo.

 

 

Moto Z Play

 

 

Não é o mais potente da Motorola, mas estreou o conceito de acessórios modulares ou Moto Snaps. A ideia pode ter ou não sucesso, mas é louvável que três anos depois a Lenovo mantenha a sua estratégia, com melhores opções de módulos.

 

 

O futuro

 

Tudo indica que a Motorola vai centrar esforços na expansão do 5G. O DNA da marca segue relacionado com as telecomunicações. E ficaremos atentos para conferir os futuros dispositivos que entram na lista para a comemoração dos 100 anos.