Compartilhe

A Apple não contou tudo sobre os novos iPhone 11, iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max em seu evento do último dia 10 de setembro. Por outro lado, vários rumores não se confirmaram, e muitos itens desejados por muita gente ficaram de fora.

Mesmo com a maioria dos rumores confirmados, vários itens mais ou menos prováveis e outros que eram um grande talvez por serem tendências que dominam o mercado Android ficaram de fora nos novos iPhones.

De qualquer forma, esse post traz características que podem estar no iPhone 12 de 2020.

 

 

O que ficou de fora dos novos iPhones, e que podem chegar em 2020

Um zoom mais potente: o iPhone 11 possui um zoom ótico que ficou nos 2x, quando muitos esperavam pelo zoom de 3x. Os sensores também são os mesmos, com 12 MP. Muitos esperavam um pouco mais.

Nada de ‘One more thing’: faz tempo que a Apple não entrega uma surpresa no final dos seus keynotes. Especularam o anúncio de um MacBook de 16 polegadas, mas ficou para depois. De qualquer forma, o iPad de 10.2 polegadas foi uma surpresa, mas apresentado no começo do evento.

O notch continua, e com razão: a Apple justifica o seu grande notch porque o Face ID é parte fundamental do iPhone, uma vez que é o sistema de reconhecimento facial mais avançado do mercado.

Atualização de tela de 90/120 Hz: o iPad Pro já possui tela com taxa de atualização de 120 Hz, e poucos esperavam o mesmo nos novos iPhones. Mas… sonhar não custa nada. Quem sabe em 2020.

Leitor de digitais abaixo da tela: deve ser um dos itens essenciais dos iPhones de 2020. O recurso já funciona bem nos smartphones Android, mas por enquanto o iPhone segue “apenas” com o estupendo Face ID.

Conectividade 5G: não era essencial, mas um iPhone 5G teria chamado a atenção. Parece ser algo inevitável para 2020, ainda mais depois que a Apple comprou a divisão de modems da Intel.

USB-C no lugar do Lightning: os novos iPhones agora funcionam com um cabo USB-C a Lightning, e não com um cabo USB-A a Lightning. Parece que em 2020 o salto para o USB-C pode ser definitivo. Algo lógico, uma vez que esse passo já foi dado no MacBook e no iPad Pro.

Sem suporte para o Apple Pencil: era uma possibilidade remota, mas seria plausível no iPhone 11 Pro Max pela sua tela maior, além de representar um diferencial a mais em relação ao iPhone 11 Pro. Quem sabe no futuro.

Recarga sem fio inversa: apesar da recarga sem fio, seria legal poder recarregar os AirPods com o iPhone. Isso não aconteceu agora, mas pode acontecer no futuro.

Tela sempre ativa: as novas telas OLED do iPhone convidam a integrar modos de tela sempre ativa e de baixo consumo nesses modelos, mas no momento o recurso não foi integrado. Já está presente no Apple Watch Series 5, o que nos faz pensar que no iPhone isso pode acontecer em algum momento.

Controle de videogames para o iPhone: o Apple Arcade vai impulsionar o mercado de videogames no iOS, e um acessório dedicado seria algo coerente. Mas a Apple de novo se manteve conservadora. Os controles do PS4 e Xbox One contam com suporte ao iPhone, mas contar com controles oficiais poderia ser mais uma interessante fonte de receita para a Apple.


Compartilhe