O robô FEDOR (Final Experimental Demonstration Object Research) recebeu autorização legal da Rússia para se transformar em um piloto de naves espaciais. E a mesma Rússia agora se nega a proibir o desenvolvimento desses robôs com capacidades letais.

A Rússia decidiu contrariar a ONU em uma convenção onde 100 países discutem a proibição das LAWS (Sistemas de Armas Letais Autônomas), e se nega a restringir a liberdade de desenvolvimento dos seus robôs para o lado de matar as pessoas.

É claro que todo mundo aqui pode entrar em um acordo para ao menos estabelecer uma proibição preventiva. Porém, dificilmente isso pode ser um argumento para medidas preventivas proibitivas ou restritivas, uma vez que as LAWS são categorias de armas muito mais complexas.

O argumento da Rússia é: se não podemos compreender o seu alcance, não deveríamos impor limites sobre os robôs assassinos.

Por outro lado, também entendem que é difícil definir o que é um “robô autônomo letal”, apesar disso ser mais um argumento retórico para justificar o desenvolvimento dessa tecnologia.

Mas é bem simples: se um robô pode matar um humano, é um robô autônomo legal.

 

Via Rússia