No passado, as rádios amadoras eram resultados de espíritos aventureiros, até mesmo por flertar com a ilegalidade. Por isso, recebem o nome de rádios piratas, pois retransmitiam a programação de outras rádios sem licença oficial.

Pois bem, a prática continua, mas se modernizou. E não apenas com as rádios, mas canais pagos de TV são reproduzidos por streaming em diversas plataformas. E com as rádios, isso não é diferente.

Logo, não é surpresa a aparição de uma nova geração de jovens que conquistam o sucesso de muitos com as retransmissões ao vivo no YouTube com conteúdos diversificados.

São os sucessores espirituais dos pioneiros das rádios pirata, mas em um formato bem mais lucrativo. Alguns desses jovens estão ganhando muito dinheiro por entregarem música ao vivo no YouTube 24 horas por dia, acompanhados de alguns pequenos clipes de vídeo em loop.

É interessante ver como tal espírito não se perdeu. Resta agora esperar para ver como os fiscais dos direitos de autor verão a prática, onde certamente tomarão providências para acabar com a brincadeira.