Se você é um cara que tem a mania de separar a sua xícara de café e não deixa ninguém tocar nela por nada nesse mundo, saiba que você tem uma certa dose de razão em fazer isso. Ou pelo menos uma explicação científica te salva de ser um obsessivo-compulsivo.

Um estudo realizado na Universidade de Oxford mostra que, quando uma pessoa escolhe a sua xícara de café, ela decide pelo simples fato do café ter um melhor sabor naquela xícara, e não em outras.

Beber em algo que é seu cria uma ‘experiência personalizada’, onde quem consome a bebida transfere parte de suas experiências (sentido de propriedade, familiaridade), onde o cérebro transforma essas chaves em um melhor sabor.

Dois fenômenos psicológicos acontecem nesse momento: a sensação de transferência, onde ficamos mais confortáveis com algo que é seu, e a sensação de posse, onde damos mais valor para algo que é nosso.

 

 

Pode parecer uma grande bobagem, mas não é. Alguns gigantes do setor estão jogando com isso a seu favor. Caso contrário, a Starbucks não escreveria (mal) o seu nome no copo. Isso nunca foi por acaso: ela quer dizer que aquele copo é seu e só seu e, para muitos, o café fica muito melhor por causa disso.

O estudo recomenda que você compre xícaras de de cor clara, para um maior contraste com o café. E, quanto mais pesada for a xícara, melhor, já que o peso agrega valor à experiência.